segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Moradora de Carmo do Cajuru precisa de ajuda para tratamento.

Vamos ajudar!

"Quem ajuda os outros, faz bem a si mesmo"

#TratamentodaAna
Ana Fonseca tem 25 anos e foi diagnosticada com uma síndrome rara chamada Síndrome de Tietze. Porém no caso da Ana é mais rara ainda, pois essa síndrome em 99% dos casos desaparece na literatura em no máximo 12 semanas. E no caso da Ana já dura há mais de um ano e tem piorado cada vez mais, o que tem um risco muito grande de estar se tornando crônica.



https://www.vakinha.com.br/vaquinha/tratamento-da-ana-77c5df78-15dc-4b2b-b560-faaa067d6588

Ana Fonseca tem 25 anos e foi diagnosticada com uma síndrome rara chamada Síndrome de Tietze. Porém no caso da Ana é mais rara ainda, pois essa síndrome em 99% dos casos desaparece na literatura em no máximo 12 semanas. E no caso da Ana já dura há mais de um ano e tem piorado cada vez mais, o que tem um risco muito grande de estar se tornando crônica.

Segundo o Dr. Marcos Britto da Silva a  síndrome de Tietze  é uma inflamação entre a cartilagem costal e o externo. Podemos defini-la como uma externo-condrite.  A principal queixa da síndrome de Tietze é a dor aguda. Essa dor torácica aguda muitas vezes assusta o paciente que pensa que está infartando. Diferente do infarto ocorre aumento da dor com a palpação local a região fica dolorida e algumas vezes inchada (edema, aumento de volume local).A dor pode ser idêntico a um ataque cardíaco e pode causar hiper ventilação, ataques de ansiedade, desmaios, ataques de pânico, torpor temporários e pseudo paralisia nos paciente mais ansiosos. A dor piora com a inspiração profunda e à leve palpação local. A duração é variável e está relacionada a sua causa. Pode duras poucos dias nos casos após esforços físicos porém a literatura salienta casos de ate 12 semanas nos casos de infecção viral.   A dor em alguns casos pode se tornar crônica, porem isso é raro.  Não sabemos exatamente as causas da Síndrome de Tietze, porém muitas vezes resulta de um esforço físico, impactos no peito, acidentes, lesões.

No caso da Ana, ela sofreu um acidente de carro em 17 de agosto de 2014 na Fernão Dias. Alguns meses depois começou a sentir dores alucinantes, porém após ir em mais de 20 médicos, ninguém sabia o que era.  Somente ano passado em 2015, ela foi diagnosticada com a Síndrome.  O problema, é que nenhum médico teve um tratamento eficaz. Apenas anti-inflamatórios,analgésicos e exercícios. Remédios cada dia mais caros e em mais dosagens que nunca surtem efeito. Passou meses de cama.  Ana acorda e dorme com dores agudas na maioria dos dias. Passou alguns meses de cama em repouso e agora tem piorado bastante. Mas ela nunca reclama, pouca gente sabe. Sempre se esforçou mesmo nos momentos mais difíceis.

No ínicio apenas o torax esquerdo tinha um edema e  inchaços em cada coluna perto do peito, porém hoje quase um ano depois o lado esquerdo também apresenta edemas e inchaços, e em todas as colunas próximas a barriga. A dor se tornou insuportável, os familiares e amigos sofrem junto, pois é angustiante o tamanho da dor apesar da quantidade de remédios.

Finalmente, depois de todo esse tempo ela conseguiu encontrar um especialista no Rio de Janeiro, que já tratou e curou alguns casos de Tietze. Pois nesses casos extremos, pode ser administrada uma série de injeções para destruir de forma permanente o nervo causador da dor. Porém o tratamento é avançado, e não existe no SUS.

 Ana é oriunda de família simples, sem recursos financeiros estudou toda a vida em escola estadual, batalhou e formou-se em Ciência e Economia pela Universidade Federal de Alfenas sempre foi guerreira e dedicada. Segue link de uma entrevista que o MEC fez com a mesma em 2013 " Estudante Mineira comemora oportunidade única".http://portal.mec.gov.br/ultimas-noticias/212-educacao-superior-1690610854/18958-estudante-mineira-comemora-a-oportunidade-unica-na-formacao

E finalmente para que esse tratamento seja realizado será necessário a aplicação de 15 injeções no valor de R$ 1.000 cada uma. ( um mil reais), ou seja será necessário o valor de R$ 15.000,00 (quinze mil reais).
Um amigo que mora no Rio de Janeiro ofereceu alojamento grátis durante o tratamento.

Se você puder doar qualquer valor, será de grande, de imensa ajuda. Deus abençoe e retribua em dobro.


Quem quiser doar direito, a conta é:
Ana Flávia Arcanjo da Fonseca
Cpf 09838486612
Banco do Brasil
Agência: 0032-9
Conta corrente: 655317

Ana Fonseca tem 25 anos e foi diagnosticada com uma síndrome rara chamada Síndrome de Tietze.

Postagem anterior
Próximo

Seja você também um autor deste blog. Saiba mais em Parcerias

0 comentários: