terça-feira, 27 de março de 2012

Coral Nossa Senhora do Carmo

O Coral de Nossa Senhora do Carmo tem sede na cidade de Carmo do Cajuru e tem como maestro Edson de Souza Vilela. Este, juntamente com a Paróquia Nossa Senhora do Carmo são os responsáveis pela corporação. O grupo faz apresentações musicais em diversos momentos durante o ano no interior da Igreja Matriz Nossa Senhora do Carmo, em outros templos e espaços públicos da cidade. O coral participa de todas as celebrações religiosas como a Semana Santa, Festa da padroeira e casamentos. O grupo conta com uma infraestrutura básica para existir, como um local para ensaiar, instrumentos musicais, uniforme e apoio da Paróquia de Nossa Senhora do Carmo de Carmo do Cajuru1

DADOS HISTÓRICOS
A antiga orquestra do coro da igreja se transformou nos atuais corais. Era uma coisa linda, formada de cantores e instrumentistas. Dava-se vontade virar para traz, para ficar olhando aquele espetáculo. Entretanto, o povo não participava. Com o coral na frente do poço, perto do altar, todo mundo participa (DIOMAR, 2000, p.214).
O Coral de Nossa senhora do Carmo é remanescente dos antigos coros da Matriz do Carmo do Cajuru. Acredita-se que a tradição de corais na cidade tenha, aproximadamente, mais de 100 anos. Com a nominação de Coral de Nossa Senhora do Carmo, o grupo tem mais de 60 anos2.
Padre Guilherme Nunes de Oliveira, que tomou posse na paróquia de Carmo do Cajuru em 25 de dezembro de 1875, gostava muito de música e incentivava a população a cantar, tocar e assistir os espetáculos que eram sempre voltados às celebrações religiosas. Ele
Foi músico também, [...] Tocava diversos instrumentos musicais, tais como a viola e o violino. Foi ele quem organizou a primeira Banda de Música de Carmo do Cajuru, sendo o seu regente. E o seu trabalho produziu tanto, que tínhamos duas Bandas de Música (V. Arte e Recreação) (DIOMAR, 2000, p.63).
Outro músico importante que passou pela cidade foi Francisco da Costa Milagres. Ele, egresso do Rio de Janeiro, ensinou música para muitos cajuruenses e formou diversos regentes. “Foi ele quem divulgou [...] os Motetos dos Passos”, de autor desconhecido, fazendo arranjos para a banda de música e para a orquestra. Até hoje esses motetos são tocados durante a Semana Santa” (DIOMAR, 2000, p.211)3.
E é justamente por isso que Edson de Souza Vilela, atual maestro do Coral de Nossa Senhora do Carmo, acredita que Carmo do Cajuru tenha tido tanto zelo com a música4. Sem precisão de datas, sabe que os cantores mais antigos do coro da Igreja foram José Epifanio Pereira, João Gomes Diniz, João Evangelista de Sousa, Augusto Celso da Fonseca, Maria Etelvina, Maria Carmo do Cajuru, Balbina Virgínia Maia e Dionísia. Maria de Lourdes Schimer Passos cantava, tocava harmônio, regia e compunha. (DIOMAR, 2000, p.63, 210, 211, 214)5.
Pelos idos da década de 1950 os integrantes do grupo musical eram Jehovah Guimarães e Jacinto Guimarães que tocavam no coro. Havia as cantoras e os instrumentistas que tocavam clarineta, violino, harmônio, dentre outros. Logo entraram no coral Vicente Dias Barbosa que tocava piston e violar, e Lalia Guimarães que tocava harmônio. A partir da década de 1970 fizeram também parte do Coral de Nossa Senhora do Carmo José Passos, dona Mariinha do Firmino, Senhor Ladico do Messias no violino; Isabel Salomé que era cantora, dona Lalia Guimarães que tocava harmônio, Jacinto Guimarães, José Salomé que era instrumentista, Aquiles e Edson de Souza Vilela como cantor. Nesta época os instrumentos utilizados eram, basicamente, violinos, violão e harmônio (DIOMAR, 2000, p.213- 215)6.
Atualmente o coral é regido pelo maestro Edson de Souza Vilela e conta com 35 participantes, entre homens e mulheres, que cantam e tocam instrumentos. O grupo faz suas apresentações, especialmente no interior da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo, para abrilhantar os diversos eventos religiosos da cidade7.

INFORMAÇÕES DESCRITIVAS
O Coral de Nossa senhora do Carmo constitui-se em um grupo composto por 40 participantes, do sexo masculino e feminino, de idades que variam de 30 a 70 anos. O grupo é munido de pessoas que cantam e de participantes que tocam instrumentos. São sopranos, contrautos, tenores e baixos. Eles executam canções regidas por um maestro, Edson de Souza Vilela. Os integrantes podem ser mencionados o regente Edson de Souza Vilela e os cantores Célio cordeiro, Antônio Cordeiro, Edson Cordeiro, Geraldo Arcanjo, Camilo, Senhor Chico, Celso, Edson Nogueira, Geraldo Arcanjo, Geraldo Mariano, Geraldo Preto, Senhor Geraldo, Lucimar, Giovanni Ferrari, Alzira Maria, Ana Maria, Dirce, Diva, Gabriele Ferrari, Geralda Arcanjo, Geralda Gonçalves, Glória, Helena, Iolanda, Isabel Cristina, Isabel Maria, Laudelina, Laurinda, Leonina, Leninha, Maria da Conceição, Maria das Graças, Maria do Carmo, Marina, Marlene, Neuza Nogueira, Nina Salomé, Sudária e Vicentina8.
Nos momentos das apresentações o regente fica disposto à frente dos instrumentistas e cantores fazendo movimentos com a mão que é guiada pela leitura das partituras. Os cantantes e os instrumentistas ficam assentados sobre as cadeiras, ou de pé, um ao lado do outro e enfileirados, um atrás do outro, munidos das partituras e instrumentos. A disposição de cada membro tende a seguir muito a tipologia dos instrumentos, que são agrupados por naipes ou famílias e o tom de voz de cada cantante. Entre os instrumentos utilizados pelo Coral podem ser mencionados a flauta transversal, clarineta, trompete ou piston e o violino. Estes instrumentos ficam sob a guarda dos membros e o violino sob a guarda da paróquia. Eles também utilizam uniformes que são jalecos na cor bege. Esta vestimenta é financiada por cada integrante do coral e a guarda também fica a cargo dos mesmos9.
Há apresentações musicais em diversos momentos durante o ano. O Coral participa de todas as celebrações religiosas como a Semana Santa, onde executa os motetos, a Festa da padroeira e casamentos. Os recursos para manutenção vêm dos próprios músicos. A Paróquia de Nossa Senhora do Carmo apóia no sentido de ceder um espaço para os ensaios, que ocorrem uma vez por semana no interior da Matriz ou no Centro Pastoral, situados à Praça Vigário José Alexandre, s/n10

NOTAS:1 a 10  Edson de Souza Vilela. Entrevista, abr./2011.
Levantamento (Abr/2011): Deyse Marinho (Historiadora).
Elaboração (Abr/2011): Deyse Marinho (Historiadora) / Patrícia Soares (Arquiteta Urbanista).

Postagem anterior
Próximo

Marketing Digital. Seja encontrado na internet e aumente seus clientes https://www.facebook.com/padconsult/
Seja você também um autor deste blog. Saiba mais em Parcerias

0 comentários: